DENGUE EM MANTENÓPOLIS – SECRETÁRIO FAZ APELO À POPULAÇÃO

0
290

O secretário municipal de saúde de Mantenópolis, Filippe Sampaio Almeida Cardoso, publicou um vídeo que circula pelas redes sociais, quando faz um apelo à população no sentido participar ativamente dos atos e condutas preventivas quanto à infestação do mosquito transmissor da dengue.

Segundo o secretário as condutas preventivas são no momento a maior e mais eficaz medidas para se prevenir contra um eventual surto epidêmico da doença, haja vista que o combate do mosquito através de pulverização de inseticida se afigura impossível porque o estado do Espírito Santo não dispõe, no momento, dos produtos utilizados no processo conhecido popularmente como “fumacê”.

Uma das formas de combate ao Aedes aegypti, mosquito que transmite a dengue, zika e chikungunya, é a pulverização de inseticida. A nuvem de fumaça de inseticida espalhada pelas ruas e residências tenta matar o mosquito para evitar que mais gente contraia dengue e zika.

No Brasil, o inseticida mais utilizado no fumacê é o malathion. Sua fórmula é diferente dos inseticidas encontrados nos supermercados e sua distribuição é feita somente pelo Governo Federal, que compra o produto e distribui para os Estados, que o repassa aos municípios. Por ser um inseticida, o malathion pode causar danos à saúde se a exposição ao produto for longa ou recorrente.

Todos os inseticidas são neurotóxicos, ou seja, atacam o sistema nervoso e o que muda de remédio para veneno é a dose. No caso de combate ao Aedes aegypti ele é jogado em doses capazes de matar o mosquito. O problema é o uso indiscriminado de inseticidas.

O inseticida serve para bloquear epidemias e não deve nunca ser usado de forma preventiva. O fumacê tem ação temporária e pontual, por isso não é considerado o método ideal para acabar com o Aedes aegypti e outros mosquitos que carregam vírus perigosos.

Veja o vídeo publicado pelo secretário.

SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE DE MANTENÓPOLIS